Jeitinho QG

Postado 13/02/2014 em Dia a dia, Dicas Compartilhar   

Chega de moleza. É volta às aulas!

É moçada, acabou a farra a folga e a mamata!

O ano letivo começou! Tanto para os pequeninos, ali dos jardins I,II III, IV, V e por aí vai, quanto para os marmanjos da facul!

É a hora! É volta às aulas. Isso soa tão anúncio de papelaria né? Mas nesse caso aqui, não é não. Vamos falar sobre essa nada mole vida que são as aulas!

Quem não fica com saudade daquela época em que esperávamos ansiosamente pelo primeiro dia de aula? Com aquelas mochilas de rodinhas MARAVILHOSAS que combinavam com a lancheira, e com o estojo cheio daqueles Faber-Castell de 38 cores, canetinhas que a gente nunca emprestava para o coleguinha porque tínhamos medo dele “pintar” com elas, e o a função, na nossa cabeça,  era somente “contornar”. Vai negar que você nunca disse “Não pode pintar, estraga!!!”?

Era tudo lindo,ainda é, pra quem tem seus 5 anos e está ingressando nesse mundo escolar.

Já para os moçoilos e moçoilas, as coisas mudam! Todo esse glamour se perde no cotidiano entre trabalho – faculdade, de muitos. Já não se tem estojos com n’s lápis de cor, no máximo uma caneta da firma, aquelas que tem click, que é fundamental na hora daquela aula chatona.

As mochilas? Não tem rodinhas, mas tem tudo mais que você que você quiser bem no estilo “Minha mochila, minha vida”. Lancheira? Nãaaaao! Já era mico no ensino médio, imagina na faculdade? A lancheira muitas vezes é a própria mochila, como falamos acima, nela você encontra tudo. Afinal sempre tem aqueles que levam um sanduíchezinho da mamãe, e ali, no intervalo discretamente abre como quem não quer nada e voialá! Se identificou? Tudo bem, não vamos te zoar. (Mas a galera provavelmente vai. Mas para isso temos a solução, passa no QG antes ou depois e resolva esse problema que te assola diariamente, chamado FOME!)

Na faculdade as coisas mudam, emprestamos tudo, inclusive o caderno. Ah… o caderno. Aquele fininho que dura a faculdade toda. Tá bom, estamos exagerando. Dura um semestre todo, mas, limpo, em branco. Com poucas páginas escritas. Que na maioria são desenhos. Sim! a gente manja dos paranauês acadêmicos.

É isso. Começa o período letivo e com ele as aulas, muitas chatas, professores exigentes, colegas sem noção, os nerd’s lá da frente, os insuportáveis, a galera do fundão, claro. E todos esses outros aqui:

E você se encaixa em qual? Além de todos esses estereótipos aí, vem também a correria do dia a dia, aliada aos trabalhos pesados e as noites em claro estudando para aquela prova sinistra. E isso se repetirá durante anos e anos. Normal!

Mas nem tudo são espinhos, reconhecemos que, volta as aulas também quer dizer, volta ao convívio social com os amigos, aquele bate papo gostoso durante os intervalos, ou durante as aulas mesmo. A azaração, claro. Tem aquela aula maneira que a gente adora assistir, tem sempre um professor bonitão e/ou professora bonitona que a gente faz questão de estar presente e participar de forma notória da aula, tem aqueles barzinhos próximo a facul que é sempre um ponto de encontro.

Reconhecemos também, que o bicho pega e a gente tem que manter o foco, senão o semestre não vinga. Há sempre preocupações menores. Afinal, quantas decisões de vida, convicções existências, projetos de vida são moldados nesse período escolar? É nesse período que ensaiamos a convivência social, fazendo das diferenças uma riqueza e não um peso. E aqui vai mais uma dica: Escolha o que te faz feliz, SEMPRE!

Mais uma vez vem a palavra equilíbrio, que falamos no último post. É o mantra pra vida, repita-a várias vezes ao dia se necessário. É preciso balancear tudo e em qualquer área da nossa existência. Não dá pra ser o ~certinho sempre, e se privar de algumas (ou várias) estripulias, ainda mais nessa fase da vida, que acreditamos ser a melhor.

Se perguntarmos a uma mãe qual a melhor fase da vida dela, certamente ela dirá que é a gravidez. Provavelmente isso acontecerá com o pai também. Ele responderá: – A paternidade. Mas provavelmente um casal, recém casado e a maioria dos solteiros, dirão que foi a faculdade, uma das (pra não dizer a melhor) fase da vida.

Mas também não dá pra ser aquele fanfarrão all time. É preciso dosagem, saber curtir mas se dedicar aos estudos, afinal eles definirão seu futuro, te darão a seta para onde seguir, e lá na frente você vai se lembrar de tudo que viveu na faculdade e com um sorriso nos lábios dizer que valeu a pena (êh êh), valeu a pena (êh êh)!

Então galera, a última dica é: FOCA NOS ESTUDOS!

 

Comentários