Blog Jeitinho QG

Jeitinho QG

Postado 12/03/2018 em Institucional Compartilhar   

Por que investir em franquias?

franquia

Empreender é uma atividade desafiadora e o sonho de muitos. Da mesma forma, os riscos e as preocupações com o sucesso podem tirar o sono de qualquer empreendedor em potencial.

Escolher uma franquia para investir é um processo que requer muitos cuidados. Há, na maioria dos casos, um bom dinheiro investido no negócio e, em alguns casos, a economia de uma vida inteira.

Investir em franquias de sucesso é algo que pode trazer diversas vantagens para os empreendedores. É fundamental que o empreendedor analise com muito cuidado, todas as opções disponíveis no mercado. É por meio dessa análise que as oportunidades serão identificadas, aumentando as chances de sucesso, diminuindo significativamente o risco de possíveis perdas.

Essa avaliação inicial mostra que o investimento em franquias é um dos mais seguros, sem falar nas chances cada vez maiores de lucros. Segundo o Guia Franquias de Sucesso, os resultados de desempenho das franquias em 2017, já anunciavam bons ventos para 2018.

De acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), houve um registro de crescimento de 8% em faturamento em 2017 (ultrapassando R$ 163 bilhões), apesar da recessão do país, comparados aos números do ano anterior. Este faturamento é liderado pelo segmento de alimentação, um dos mais estáveis no segmento de franquias, e também na opinião dos consumidores e franqueados.

Vantagens de investir em franquias

Investir em franquias tem uma série de benefícios e vantagens, o que em geral, não existe nos investimentos feitos por conta própria. Confira algumas dessas vantagens:

Reputação

Quando você adquire uma franquia de marca já consagrada no mercado, você conta com o suporte e o renome da marca que está representando.

Menor risco

Segundo o IBGE, seis a cada dez empresas morrem antes do seu quinto ano de existência. Por outro lado, a ABF indica que, entre as franquias, essa taxa é de apenas 5%.

Assistência e treinamento para franqueados

Os franqueados, além dos treinamentos iniciais e de reciclagem, recebem assistência constante, em caso de franqueadoras mais sérias, com o objetivo de oferecer cada vez melhor suporte à Rede.

Desenvolvimento do plano de negócios

Poder contar com o apoio de um franqueador no desenvolvimento do plano de negócios para a sua franquia, reduz o risco financeiro e aumenta as chances de êxito do negócio.

Planejamento dos custos de instalação

As franqueadoras, como já apresentam um padrão de projeto arquitetônico definido, possuem uma estimativa de gastos não só para a padronização de produtos e serviços, mas também para à instalação da nova unidade.

Negociação em escala e marketing cooperado

Ser franqueado de uma marca com várias unidades instaladas, aumenta o poder de compra perante os fornecedores, e se tem fundo de marketing bem aplicado, aumenta a reputação e o valor da marca (ativo) no mercado, e ainda dilui os custos, o que seria mais oneroso se tivesse que desenvolver com sua marca própria.

Abrir uma franquia é uma boa alternativa de negócio para quem deseja aproveitar destas vantagens explanadas no artigo.

Vou me dedicar a desenvolver um novo artigo para vocês explicando sobre algumas desvantagens e cuidados que se deve ter sobre o segmento de franchising. Posto em breve aqui na minha página!

Conheça melhor uma boa alternativa de investimento no segmento de alimentação e saiba mais sobre as marcas do Grupo QG, ao qual eu represento!

Até a próxima!

Postado 07/03/2018 em Institucional Compartilhar   

Conheça Guilherme Carvalho, CEO do Grupo QG.

Guilherme Carvalho

Eu sou Guilherme Carvalho, CEO do Grupo QG.
Não tenho medo de errar e desde cedo mostrei isso para todos. Meu amor pela área comercial começou aos 7 anos, quando vendia picolé e bombom na porta da escola.
Minha história no QG começou quando eu tinha 13 anos, ajudando meus pais a fechar o caixa das lojas (somando comanda a comanda de papel). No início eu realmente achei que iria me tornar médico e estudei muito pra isso. Até que um teste vocacional me mostrou que eu estava enganado, e que enlouqueceria se tivesse que ficar trancado em um consultório.
Então, aos 17 anos fui para Nebraska/USA fazer intercâmbio estudantil com o objetivo de falar inglês, e no final das contas aprendi muito mais que uma língua estrangeira, mas uma cultura completamente divergente, e que me tornou mais resiliente. Seis meses depois voltei, fiz um curso preparatório para o vestibular e comecei minha faculdade de Publicidade e Propaganda na PUC. Depois fiz MBA em Marketing pela FGV e MBA em Franquias pela FIA (Fundação Instituto de Administração) em São Paulo.
Tenho uma paixão incansável pelo conhecimento, o que me levou a participar do maior congresso de varejo do mundo em Nova York, a NRF (National Retail Federation), e me aprofundar nos ensinamentos do franchising com o Grupo Cherto, o maior escritório da América Latina em estruturação de franquias, pelo qual tenho um enorme carinho e admiração.
“Quando se vira empresário, o empreendedor não pode desistir e o começo é realmente muito difícil”.
E hoje, eu quero compartilhar com você as minhas experiências com o Grupo QG. Convido você a me seguir no Facebook e Linkedin.
Vamos falar sobre franquias? Até a próxima.

Postado 11/10/2017 em Dia a dia Compartilhar   

QG 36 ANOS: UMA HISTÓRIA DE SUCESSO!

 

Com 36 anos de estrada, o QG, que hoje é uma das maiores redes goianas de fast food, tem em sua história uma personagem que foi crucial para que a marca se tornasse o que é hoje: Maria Cristina (ou dona Kiki), contou em entrevista para a revista Lojista (CDL) que a ideia inicial era apenas se estabelecer profissionalmente. Ela e o marido não imaginavam que, a partir do trabalho na Quitandinha Goiana, iniciado em 1979, iriam se tornar empreendedores de sucesso.

Atualmente, a rede conta com aproximadamente 500 colaboradores, diretos e indiretos. Maria Cristina tem orgulho de dizer que cinco desses funcionários trabalham no grupo há mais de 30 anos. Divina, Doralice (Loló) e o Jorge, que hoje atuam na indústria, foram os primeiros a ajudar o casal a escrever a história de empreendedorismo. Eles começaram na Quitandinha Goiana. Teodoro e Gilson iniciaram no grupo com a inauguração da loja do Flamboyant.

Mas se vocês pensam que tudo foi flores, dona “Kiki” trabalhou (e muito) para ter o sucesso de hoje: junto com o marido, preparava receitas e atendia clientes. Os filhos do casal, vendo todo o empenho dos pais, entraram no clima da empresa desde cedo e hoje, também fazem parte desse incrível sucesso: Rafael hoje participa do conselho administrativo e é proprietário do Cerrado Bar; Pedro Paulo é administrador e responsável pelas rotinas legais; Lorena é nutricionista; e Guilherme, formado em Propaganda e Marketing, exerce atualmente a presidência da empresa.

ENSINAMENTOS DE BERÇO

A empresária diz que não imaginava se tornar empreendedora, mas aceitou o desafio sem medo e disposta a fazer dar certo. Com a mãe, que faleceu aos 73 anos, aprendeu a ser forte e determinada. Ela deixou uma lição que Maria Cristina leva em sua vida e procura passar para outras pessoas. “Meu pai morreu quando eu tinha apenas 7 anos. Aprendi com minha mãe que não podemos fazer apenas aquilo que gostamos e nunca dizer que não conseguimos. Temos de fazer aquilo que é preciso”, diz. E Maria Cristina fez. Entrou em uma área desconhecida com o propósito de nunca desistir. Apaixonou-se pela função e chegou ao sucesso nos negócios. Hoje, conta que precisa apenas de coisas simples para viver. Para ela, o que marca são as histórias construídas ao longo da vida. “Isso é mais forte do que qualquer coisa”, ressalta. A empresária usa o que aprendeu com o Serviço Social na área de Gestão de Pessoas do grupo. Além disso, contribui para a criação e inovação dos produtos da empresa. da empresa.

 

APRENDER  COM O NOVO

Para entrar no ramo alimentícios, Maria Cristina e o marido foram atrás de aprendizado: O casal foi até São Paulo conhecer as instalações de uma pastelaria. Na Cidade de Goiás, hoje patrimônio histórico e cultural da humanidade, aprenderam a fazer a massa em uma das mais tradicionais pastelarias da cidade, que atualmente tem continuidade com a pastelaria do Macalé. Foi assim, então, que eles aprenderem e entraram em uma área desconhecida com o propósito de nunca desistir. Dona Kiki apaixonou-se pela função e chegou ao sucesso nos negócios. Hoje, conta que precisa apenas de coisas simples para viver. Para ela, o que marca são as histórias construídas ao longo da vida. “Isso é mais forte do que qualquer coisa”, ressalta.

 

VENHA FAZER PARTE DESSA FAMÍLIA!

Assim como Maria Cristina, a QG acredita que existem várias outras donas “Kikis” pelo Brasil e estamos de portas abertas para ajudar a você construir seu sonho! Que tal começar hoje mesmo? Sendo um Franqueado QG, as portas para a sua estabilidade financeira estão apenas começando! Venha fazer parte.

Saiba mais http://www.qgjeitinhocaseiro.com.br/seja-um-franqueado/